dezembro 27, 2008

A arte de contribuir


Mesmo em tempo de recesso natalino o CENARTE ainda busca realizar atividades que congreguem o bem-estar coletivo dos acadêmicos do curso de artes visuais da Universidade Federal de Sergipe, como é o caso das intervenções visuais feitas na porta do CA no último dia 20, onde alguns dos membros do Centro Acadêmico puderam deixar suas contribuições artísticas em diversos locais como paredes, portas e armários afixados na própria sede do curso.

O trabalho durou quase um dia inteiro e ainda não pôde ser concluído, mas foi o pontapé inicial para o despertar do interesse de outros alunos, afinal as contribuições podem vir de qualquer um, contanto que realmente queira colaborar de modo produtivo com a reforma do CENARTE. Acadêmicos de outros cursos também se colocaram à disposição para auxiliar e não faltou elogios à pintura do 'Arlequim surreal' idealizado pela artista plástica e designer Débora Kaline, estudante do curso de artes do 2º período. Para ela é importante que mais pessoas estejam à frente de iniciativas como esta, já que o curso possui uma estimativa de 200 alunos ao todo.


E as empreitadas do Centro Acadêmico não param por aí, muito em breve acontecerá mais uma edição da Bienal de Arte e Cultura da UNE e a delegação sergipana está lutando persistentemente para estar presente de 20 a 25 de janeiro em Salvador, onde poderá encontrar-se com diversos estudantes de todo país, a fim de se integrar em discussões relevantes como, por exemplo, a cena do movimento cultural brasileiro na atualidade. É importante a conscientização dos alunos no que tange à participação de eventos desta espécie, seja na Bienal da UNE ou no Fórum Social Mundial, o essencial é que os alunos entendam a real importância de se estar presente nesses encontros.



E por falar em encontros não se deve ignorar um dos maiore
s eventos de artes do país: o ENEARTE, que no ano de 2009 será realizado também na cidade de Salvador, cujo tema ainda está a ser definido num possível Conearte presencial, também na capital baiana, no mesmo período da Bienal da UNE. Dando ensejo ainda à Bienal no tocante aos trabalhos aprovados teremos uma forte representação da delegação sergipana através da música dos Xocós, trabalho inscrito por Elvis, Isaias e Artur, respectivos alunos do 2º período do curso de artes. A lista dos aprovados nas categorias de artes visuais, música e ciência e tecnologia já foi divulgada, restando saber apenas os nomes para artes cênicas, literatura e audiovisual.

Em breve estaremos colocando no blog imagens de outras Bienais da UNE, por enquanto é só aguardar a volta do recesso e um feliz 2009 a todos!

dezembro 07, 2008

Ações e intervenções


Estamos em contagem regressiva para a VI Bienal de Arte e Cultura da UNE, que é considerado um dos maiores festivais artísticos da América Latina. Apesar de toda a problemática que envolve custos e despesas com a viagem alguns alunos do curso de artes visuais estão se mobilizando e correndo contra o tempo a fim de arrecadar fundos suficientes para sanar as despesas. Como em 2009 a 6ª edição da Bienal será na cidade de Salvador, nada mais oportuno para os estudantes de artes da UFS em se manterem presentes neste evento, que por muitos é criticado devido aos seus realizadores serem da União Nacional dos Estudantes, cuja representação estudantil hoje se encontra fracassada, no entanto para os estudantes do curso de artes da UFS o mais importante é poder mostrar-se enquanto artistas e futuros licenciados em artes, já que a Bienal é muito mais que uma simples mostra de trabalhos, mas também um intercâmbio de conhecimento e vivência cultural, congregando ainda os diversos viés artísticos que serão apresentados na capital baiana.




Diversas ações estão sendo realizadas pelo CENARTE juntamente com alguns alunos do curso de artes visuais, dentre algumas se destacam os pedágios semanais feitos em diferentes avenidas movimentadas de Aracaju, que apesar de cansativos tornam-se até divertidos momentos de descontração, onde realmente percebe-se o interesse de quem quer participar de fato da construção das atividades do Centro Acadêmico.



Já no quesito intervenções alguns projetos estão começando a se desenvolver no que tange a movimentação cultural além dos muros da Universidade, uma prova recente disso foram as intervenções urbanas intituladas 'A arte na rua' realizadas na Orla de Atalaia durante o projeto SESI bonecos, que aconteceu entre os dias 21 e 23 de novembro. As intervenções consistem em uma mescla musical, teatral e performática, onde o público interage diretamente com os interventores provocando um feedback direto entre os mesmos. A cantora Patrícia Polaine também deu sua contribuição musical com levadas de maracatu, fazendo a mistura de ritmos e sons com a participação massiva do público presente.


Não deixem de acompanhar os próximos roteiros de 'A arte na rua' e venha fazer parte junto conosco desse projeto interativo construído por todos que ainda acreditam na arte.



Próximos roteiros:

Intervenção urbana na Orla de Atalaia - 07/12 (domingo) às 17h

Pedágio artístico nas imediações do Shopping Jardins - 09/12 (terça) às 16h30



novembro 30, 2008

Ciclo de debates faz sucesso entre acadêmicos da UFS



Na última quinta-feira, 27 de novembro, foi promovido um debate com o tema 'O negro e questões de opressão' realizado pelo CENARTE, na concha acústica da UFS, que contou com a presença dos professores Hipolyte Brice (Antropologia/UFS), Severo D'Acilino (Movimento negro em Sergipe) e Wellington Bomfim (NEAB/UFS). Os três conhecedores da área falaram respectivamente sobre religiosidade, movimentos sociais e cultura, onde expuseram suas idéias e vivências acerca da situação atual do negro na sociedade, de acordo com os três âmbitos debatidos.





Com a duração de pouco mais de 2h o debate pôde desenvolver diversas falas que contemplaram dentre outros assuntos: preconceito religioso e racial, a problemática da aculturação, o cenário do movimento negro em Sergipe e a tão polêmica política de cotas raciais nas Universidades públicas. A participação dos alunos foi crucial para o desenrolar do debate, que acabou ficando com "gosto de quero mais", segundo alguns discentes.






O evento contou ainda com roda de capoeira, batuque de afoxé e a estréia do grupo de dança Dell'Art composto por alunos do 2º periodo do curso de artes visuais, cuja pretensão é tornar-se fixo a fim de realizar aulas periódicas para todos que integram o ambiente universitário. As apresentações variaram de acordo com a demanda do tempo, no caso da capoeira 1h foi suficiente para o grupo interagir com o público, que não somente ficou como espectador, mas também cantou e dançou ao som dos tambores.



É importante ressaltar a importante participação do grupo Axé Palmares, que com seus tambores de ritmos africanos proporcionaram muita ginga e saudações à cultura afro, a qual estava sendo homenageada através de vários viés presentes no ciclo de debates, cujo foco principal é promover a reflexão através da arte.
Para ver mais imagens do ciclo de debates acesse o orkut e veja o álbum do CENARTE em http://www.orkut.com.br/Main#Album.aspx?uid=8480247968051269680&aid=1227980309

novembro 20, 2008

Dia Nacional da Consciência Negra

Em homenagem ao dia Nacional da Consciência Negra o CENARTE - Centro Acadêmico de Artes promoverá na próxima quinta-feira, 27, um debate sobre 'O negro e questões de opressão: religiosidade, cultura e movimentos sociais.' O evento será realizado na Concha acústica a partir das 14h e contará ainda com apresentações de dança afro, grupo de capoeira e afoxé. Vamos juntos refletir um pouco sobre o real sentido de ser negro no Brasil, participe!

* Segue abaixo o folder com a programação do evento:




O Dia Nacional da Consciência Negra, 20 de Novembro, não é apenas mais uma data no calendário e sim a tentativa de promover uma reflexão sobre o sentido de ser negro no Brasil. A data foi escolhida pelo fato de ter acontecido neste dia a morte do maior líder do Quilombo dos Palmares, Zumbi, que se tornou símbolo não somente da resistência negra no Brasil, como também da luta pela liberdade humana.

Novembro é conhecido como “mês negro”, onde diversas entidades ligadas ao Movimento Negro Unificado realizam eventos relacionados ao combate da opressão ao negro como um todo. É um momento único de se buscar entender o porquê de tanto preconceito existente ainda, num país tão multifacetado pela miscigenação, sendo o negro um dos formadores da nossa identidade.

Convidamos, portanto você a fazer também a sua reflexão seja de forma compartilhada ou de modo mais particular, o importante é o dever de cada um em buscar a consciência de que a cor da pele não é mecanismo de medição da capacidade e principalmente do caráter do ser humano.


“Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá a guerra”. (Bob Marley)

* A apresentação do grupo de afoxé acontecerá na Concha Acústica, não mais no RESUN como consta no folder.



novembro 17, 2008

A união faz um Centro Acadêmico


Muitos de vocês já devem ter ouvido falar de Centro ou Diretório Acadêmico, mas talvez não saibam a real importância dessa entidade no ambiente universitário. Um CA ou DA, como são denominadas as siglas desses órgãos estudantis, tem por obrigação representar legitimamente os interesses dos estudantes de determinado(s) curso(s), promovendo assim atividades esportivas, culturais e científicas e atuando ativamente no macro-ambiente da Universidade.

É importante ressaltar que o papel de um Centro acadêmico não se limita apenas aos muros da Instituição de ensino Superior, este também possui autonomia suficiente para atuar fora dela e, principalmente, engajar-se num sentido de agregar a comunidade com a realidade universitária: os chamados projetos de extensão. Nesse momento o CA serve de mediador entre a Universidade e outras entidades de modo geral, sejam elas pessoas físicas e/ou jurídicas, o importante é mobilizar a classe estudantil para questões que perpassam o ensino acadêmico, criando uma espécie de conscientização coletiva ao grande gerador de acontecimentos essenciais à seara universitária: o estudante.

Entretanto, está cada vez mais difícil promover a mobilização do aluno para fins coletivos, visto que hoje a apatia e o descaso tomaram conta da cena universitária em todo país. O Movimento Estudantil vem perdendo força significativa e isso se dá, substancialmente, ao fato de que o perfil do alunato vem mudando, onde se tem aliado a isso o modelo tecnocrata de ensino instituído após a ditadura. Poucas pessoas reconhecem ainda a real importância do trabalho da representação estudantil, o que dificulta e desanima o pequeno número de universitários que tenazmente acredita na força de vontade para se alcançar resultados significativos para o todo e não somente a si mesmo.



Quer ver seu texto aqui? Escreva um e-mail para: artesvisuais.ufs@gmail.com e tenha seu texto publicado de acordo com as diretrizes do CENARTE